Honorários contábeis: o que são e como cobrar

Em toda relação que envolve uma prestação de serviço, uma das primeiras coisas acordadas é o valor dos honorários, que nada mais é do que o valor cobrado pelos serviços a serem prestados. No caso dos honorários contábeis, essa quantia pode variar bastante, dependendo da demanda.

Essa variação não existe somente porque os serviços prestados são diferentes, mas também porque os Conselhos Regionais de Contabilidade não estabelecem um valor fixo a ser cobrado pelos contadores e empresas de contabilidade. Essa responsabilidade fica a cargo dos sindicatos estaduais da categoria.

Por uma questão de ética e também para não desvalorizar os profissionais, os contadores devem respeitar o piso mínimo estabelecido pelos sindicatos nas chamadas tabelas contábeis. Se o mínimo existe, o contrário não vale para o máximo. Além disso, as tabelas podem não contemplar todas as variáveis envolvidas em uma prestação de serviços contábil. Por isso, ela deve ser uma base, um ponto de partida e não encarada como algo definitivo.

Cada um cobra de acordo com o que achar justo, levando em conta todas as variáveis envolvidas. E é aí que está a dúvida de muitos contadores e também de clientes. Qual seria o valor justo? Como calcular quanto valem as horas trabalhadas?

Este artigo é para sanar todas essas dúvidas. Vamos lá!

Por onde começar a calcular os honorários contábeis?

Se o ponto de partida são os valores estabelecidos pelos sindicatos nas tabelas contábeis, o próximo passo é analisar as peculiaridades do serviço que será prestado, com uma previsão das despesas específicas. Então, vamos aos fatores que devem ser levados em conta nesse cálculo:

Tempo que será gasto

O famoso ditado “tempo é dinheiro” nunca fez tanto sentido como na área de prestação de serviços. Cada segundo gasto com o trabalho custa ao contador. Um telefone para o cliente, uma visita à empresa para esclarecer determinadas questões e análise e produção de relatórios e documentos. Tudo isso tem um custo que é repassado no valor final dos honorários.

Como o tempo varia na prestação de serviços de empresa para empresa, os honorários cobrados também não podem ser os mesmos. Mesmo que o tipo de trabalho seja parecido, ou até o mesmo, o valor cobrado pode variar de acordo com o cliente. Afinal, as exigências não são as mesmas e há questões específicas que precisam ser analisadas e atendidas.

Equipe necessária para a realização do serviço

Qual o tamanho da demanda da empresa? Quantos funcionários da contabilidade serão designados para o trabalho? Todas essas perguntas devem ser feitas antes de definir o valor dos honorários. Nesse caso, o primeiro passo é calcular o custo da hora trabalhada de cada funcionário envolvido.

Todos os encargos relação com os funcionários são repassados no preço final. Então, por exemplo, se tem um profissional que vai se dedicar 15 horas por mês ao cliente e a hora dele custa R$30, isso indica que o cliente custa R$450 por mês. Para fazer esse cálculo, é importante uma conversa com o cliente para entender o tamanho da demanda. Mas, é claro, que imprevistos acontecem, e as horas trabalhadas podem acabar sendo um pouco maior ou um pouco menor.

Custos diversos

Não é somente do tempo dispendido e da equipe mobilizada que saem os gastos de um escritório. Muitas outras pequenas despesas não podem passar despercebidas na hora do cálculo dos honorários. São aspectos que não dizem respeito diretamente à prestação de serviços, mas que estão embutidas no dia a dia do escritório de contabilidade.

Contas de água, luz, telefone e internet, por exemplo, além dos gastos com materiais de escritório, impostos, aluguel e limpeza. Tudo isso entra na conta no final do mês e, de alguma forma, tem que ser repassado aos clientes.

O mais comum é que essas despesas sejam repartidas entre os clientes de maneira proporcional. Ou seja, que sejam relativas ao tempo e à complexidade do trabalho desenvolvido. O que cliente que demandar mais do escritório também pagará um pouco mais por essas despesas da rotina do trabalho.

Margem de lucro

Um escritório de contabilidade, como qualquer outro, não pode viver apenas para pagar as próprias despesas. Por isso, o lucro também deve estar embutido na hora de calcular o valor dos honorários. Ele é, de maneira bem simples, a diferença entre o que o escritório ou o contador arrecada e o que gasta.

Especialistas recomendam que a margem de lucro líquido para a prestação de serviço — o caso das empresas contábeis—­, seja a partir dos 20% da receita total. Mas cada empreendedor deve avaliar se essa porcentagem funciona para seus negócios.

Além de identificar a margem de lucro, é preciso fazer uma avaliação de cada cliente, para identificar como cada contrato rende para a empresa e fazer alguns ajustes, caso necessário.

Olhar para a concorrência

Não tem como fazer todos os cálculos citados acima e definir um valor para os honorários contábeis sem levar em conta também a concorrência. Afinal, saber se o preço é compatível com o mercado é um ponto fundamental. Isso não quer dizer desvalorizar o trabalho nem embarcar numa guerra de preços com os concorrentes.

O ideal é o bom senso. Observar a margem de lucro ideal e compara-la com a concorrência. Se for o caso, abaixa-la um pouco para poder cobrar um preço melhor, mas sem prejudicar o trabalho realizado e os rendimentos.

Falando em concorrência, outro ponto que interfere na cobrança dos honorários é como a empresa está projetada no mercado. Se já está bem posicionada, ainda buscando um espaço maior ou no início da atuação.

E não estamos falando apenas do valor agregado ao nome da empresa de contabilidade. O famoso clichê de “se paga pela marca”. Estão também em jogo a formação e a experiência dos profissionais envolvidos na prestação de serviço. Além, é claro, dos trabalhos já realizados e dos clientes já atendidos.

Conclusão

No final das contas, é preciso colocar muita coisa na balança na hora de calcular os honorários contábeis. O principal é buscar um equilíbrio entre o valor cobrado e a qualidade do serviço ofertado, sempre tendo o mercado em mente.

cta-previsa-ebook-fale-com-a-rnc