Contabilidade: o que é e para que serve?

Dizem por aí que o contador é alguém que resolve problemas que ninguém imaginava ter, de uma maneira que ninguém entende. Será que essa profissão é tão misteriosa assim mesmo? Pode ser que, para quem vê de fora, o trabalho realizado por um contador seja mesmo uma incógnita, mas ninguém duvida de uma coisa: ele é essencial para organizar as finanças e as responsabilidades ficais de uma empresa.

Só de olharmos a descrição no dicionário do que significa “contabilidade” já dá para perceber tal importância: área científica que, teórica ou prática, estuda os métodos e técnicas usados para calcular e registrar a movimentação financeira de uma firma, companhia, empresa (Dicionário Online de Português).

Apesar de lidar com números e movimentação financeira, o trabalho de um contador está longe de se resumir a isso. Ele é parte fundamental da gestão de empresas, uma vez que pode contribuir para as tomadas de decisão estratégicas do gestor.

Este post é para esclarecer todas as dúvidas sobre o trabalho de uma empresa de contabilidade. Confira!

O que faz um contador e um escritório de contabilidade?

Não é à toa que a presença de um contador deixou de ser um privilégio de uma minoria das empresas e passou a ganhar cada vez mais importância. Uma empresa que possui uma estrutura contábil eficiente se destaca dentre as outras e tem mais chances de crescer e se manter no mercado. Mas por que a contabilidade é tão importante assim?

Para responder a essa pergunta, é preciso listar tudo o que um contador pode fazer dentro de uma empresa. São cinco verbos principais que resumem as atribuições deste profissional:

Registrar: tudo de uma empresa que diz respeito a valores monetários;

Organizar: um sistema de controle que leve em consideração as peculiaridades da empresa;

Demonstrar: com base no que foi sistematizado anteriormente, a situação patrimonial, econômica e financeira da empresa;

Analisar: todos os demonstrativos e relatórios contábeis para apurar os resultados obtidos; e

Acompanhar: a execução dos planos econômicos da empresa, levando em consideração as despesas com pagamentos e também os valores que serão recebidos de terceiros, além de prever possíveis problemas.

Diante disso, fica clara a importância de uma contabilidade bem-feita para que os gestores de uma empresa possam ter um conhecimento perfeito dos bens (ativos) e obrigações (passivos) de seu negócio e possa tomar decisões mais assertivas em relação a ele. Além disso, o empreendedor pode contar com seu contador para dar apoio a essas decisões, como um consultor.

O contador é figura chave em diferentes momentos pelos quais a empresa passa, desde a abertura até os períodos de expansão e estabilidade. Quando empreendedor resolve abrir uma empresa, por exemplo, ele precisa estar ciente do enquadramento tributário e tipo de sociedade, além de pensar estratégias para diminuir os encargos tributários e os riscos associados ao negócio.

Com a empresa já criada e estabelecida, o contador passa a analisar o desempenho dos negócios, controlar os impostos, elaborar e executar o planejamento tributário. Aliás, uma das principais preocupações de um contador é em relação ao fisco. Garantir a regularidade fiscal, acompanhando as constantes mudanças na legislação, é fundamental para manter a empresa em bom funcionamento.

Resumidamente, a presença de um contador na empresa tem duas finalidades principais: controle e planejamento. A primeira diz respeito ao monitoramento dos relatórios contábeis, que permite verificar se a empresa está atuando em conformidade com a legislação vigente e com as diretrizes determinadas.

Já o planejamento está relacionado à possibilidade de as decisões sobre as ações futuras serem baseadas nos planos orçamentários, que são fundamentais para um planejamento empresarial eficiente.

Áreas de atuação do contador

A contabilidade é um campo bastante amplo e o profissional pode se especializar em diferentes áreas, de acordo com seus interesses e afinidades. Os empreendedores também podem escolher o contador com diferentes especialidades, a partir das demandas da empresa. Ou, então, contratar um escritório que possui profissionais com diferentes qualificações para atende-lo à medida que as demandas vão surgindo.

De maneira geral, podemos dividir as áreas da contabilidade da seguinte forma:

Auditoria: uma das principais áreas da contabilidade, a auditoria é responsável pela análise de documentos, registros e livros para verificar se as transações financeiras registradas estão corretas e não possuem erros que possam prejudicar a empresa.

Perícia contábil: o perito contador pode ser contratado diretamente pelas empresas ou designado por um juiz para elaborar laudos sobre questões contábeis de organizações com prováveis problemas financeiros, causados por erros na administração.

Análise financeira e econômica: a partir de relatórios contábeis, o contador demonstra e avalia a situação patrimonial de uma empresa. Com isso, levanta informações relevantes, que são repassadas ao empresário e o auxiliam no planejamento e nas decisões referentes ao negócio e aos investimentos.

Assessoria contábil: o contador interpreta e avalia toda a rotina contábil de uma empresa para apontar aspectos que podem contribuir para com a gestão financeira do negócio. Assim como na análise financeira, a assessoria pode potencializar os processos de decisão do gestor.

Contabilidade social: tem como objetivo avaliar o impacto das atividades da empresa na sociedade. É uma área da contabilidade preocupada não somente com os recursos econômicos, mas também com os recursos humanos, agrupando aspectos que vão do social ao ambiental, passando pelo ético.

Exigências legais

Empreender no Brasil não é tarefa fácil. O empreendedor tem que lidar com uma série de burocracias. E sem um acompanhamento adequado, o empresário pode acabar se confundindo com tanta legislação e cargas tributárias e levando a empresa à falência. Muitas vezes o gestor não toma as decisões certas por falta de conhecimento da situação financeira geral da empresa. Por isso, um contador é uma peça chave.

Ainda há muitas controvérsias sobre a exigência legal de um contador em micro e pequenas empresas. Há quem interprete a lei e afirme que não há obrigatoriedade e outros que que entendem que existe a exigência para todas as empresas, com exceção do Microempreendedor Individual (MEI).

Havendo ou não obrigação legal, qualquer empresa deveria se preocupar em contratar um contador ou uma empresa de contabilidade para correr menos riscos nos negócios.

cta-previsa-ebook-fale-com-a-rnc